Assim como um veículo, um edifício precisa de manutenção. Trincas, umidade, vazamentos, corrosão de armaduras em pilares… são muitos os problemas encontrados em condomínios. Eles reduzem a vida útil, causam insegurança, depreciam o valor imobiliário, são alvos de intermináveis reparos e causam desgaste entre moradores, síndico e administradores. Por outro lado, os responsáveis pela edificação solicitam reparos diretamente às empresas executoras, sendo que os problemas muitas vezes não estão relacionados às técnicas que estas empresas opinam ser a correta. Na ânsia do responsável resolver o problema e a empresa concretizar o negócio, tomam-se intervenções equívocas e desnecessárias muitas vezes, aumentando custos sem efetivamente corrigir as anomalias. Conforme definição da Norma Nacional do IBAPE, a Inspeção Predial: “É a análise isolada ou combinada das condições técnicas, de uso e de manutenção da edificação”. É realizada por um Engenheiro Civil que observa as condições da edificação, visando classificar as anomalias verificadas em Graus de Urgência e Gravidade. O Laudo é um instrumento para o diagnóstico da construção, fornecendo parâmetros e recomendações técnicas adequadas para a correção. É um documento fundamental e imparcial, pois a empresa não realiza manutenções e reformas, não existindo qualquer interesse na venda de produtos ou serviços adicionais. Desta forma eliminam-se as reformas e manutenções desnecessárias ou infrutíferas.

   Qual a importância das inspeções?

      - Auxiliar no reparo das manutenções dos equipamentos e instalações condominiais,

      - Orientar o condomínio para a boa prática, das atividades de manutenção predial;

      - Subsidiar a gestão condominial, nas prioridades de recursos a serem investidos, no sentido de aumentar a vida útil dos sistemas componentes da construção;

      - Contribuir para a redução do prêmio de seguro, em função de se atestar o estado de conservação do edifício;

      - Auxiliar em transações imobiliárias (compra, venda e locação), informando o estado de conservação, e alertando para as eventuais necessidades de reparos importantes.

   Quando devem ser feitas as perícias e inspeções?

      - Para edificações com até 15 anos, a cada 3 anos;

      - Para edificações entre 15 anos a 30 anos, a cada 2 anos;

      - Para edificações com mais de 30 anos, a cada ano.